Projetos Bandeira

Novos mercados para Nano & Microssatélites

O mundo assiste desde o início do século XXI, a uma revolução silenciosa, mas poderosa, com o aumento do número de plataformas usadas para explorar o Espaço para benefício socioeconómico sustentável da humanidade, e que conduziu ao que hoje é referido como Novo Espaço.

© Nasa

Os SmallSats fazem parte dessa diversificação tecnológica que tem contribuído para a democratização do acesso e uso do Espaço, que já não é um exclusivo de nações com grandes orçamentos, estando acessível também a universidades, centros de investigação ou startups. A criação da norma CubeSat, há cerca de duas décadas, tornou possível esta diversificação.

Na definição tradicional um CubeSat é um pequeno satélite múltiplo de 1U (10 cm x 10 cm x 11,35 cm), com pouco mais de 1,33 kg. Incluindo todos os subsistemas básicos necessários à navegação de satélites de maiores dimensões, utiliza componentes significativamente mais baratos, o que os torna mais acessíveis.

Para os operadores os nano e pequenos satélites são uma oportunidade para a criação de constelações, mas para países como Portugal são um instrumento para (1) desenvolver a liderança em sistemas e subsistemas; (2) construir capacidade; (3) atingir objetivos nacionais num espírito internacional.

Em resumo, estamos a falar de pequenas naves, com baixos custos de produção, uma vez que os standards aprovados para os CubeSat permitem reduzir os custos para alguns milhares de euros, ou no máximo poucos milhões. Também tornam possível que sejam precisos apenas alguns meses, ou um ano, para que decorra o período de produção. De aplicações simples, principalmente desenvolvidos com objetivos educacionais, os CubeSats são responsáveis por muitas inovações disruptivas, subindo na cadeia de valor até ao ponto em que competem ou substituem, satélites concorrentes de tamanho médio. Sendo mais baratos e com menores tempos de produção permitem que as constelações estejam permanentemente atualizadas.

 Definição Nano / Microssatélites 

Pico Satélites 

(0.1 – 0.99kg)

Nano Satélites

(1 – 10kg)

Micro Satélites

(10 – 100kg)

Satélites Pequenos/Médios

(100 – 1000kg)

© ESA

Neste contexto, Portugal está empenhado em promover a democratização do acesso ao Espaço a preços internacionalmente competitivos, recorrendo a parcerias público-privadas, lideradas pela indústria, para incrementar o desenvolvimento socioeconómico e a exploração do Atlântico e de outras massas de água.

Um objetivo que o País espera alcançar sob a supervisão geral da Portugal Space, e através do AIR Center, organização em rede criada para promover o desenvolvimento do Atlântico em parceria com outros organismos de investigação internacionais.

Novos Mercados

Observação da Terra

Nano e microssatélites fornecem dados, numa base quase diária a partir de qualquer ponto do mundo. Informação que é crucial para os setores da energia, agricultura, minas ou indústria petrolífera.

 

Meteorologia

Antecipar catástrofes naturais e contribuir para as alterações climáticas são duas das principais funções dos nanossatélites que fornecem previsões meteorológicas precisas para serem usadas por indústrias que todos os dias são afetados pelo clima.

 

Controlo de colheitas

Imagens capturadas por CubeSats têm um vasto espectro de aplicabilidade na agricultura. Através destes dados, podemos controlar colheitas e identificar áreas que exigem mais ou menos água e ou diferentes quantidades de fertilizantes. Além disso, as imagens de satélite podem ser um instrumento fundamental para calcular os estragos causados por fenómenos meteorológicos, pragas ou doenças.

 

Seguimento de Navios

O rastreio em tempo real da posição exata de um navio, possível pela comunicação da embarcação com nano satélites, permite controlar a localização e o estado da carga. Com o acompanhamento dos navios as empresas conseguem aumentar a segurança do transporte, a otimização de rotas e coordenar operações de salvamento. A pesca ilegal e a pirataria podem ser prevenidas e as atividades de vigilância ambiental podem ser realizadas.

 

Rastrear mercadorias

Usando nano satélites podemos fazer o rastreio e a geolocalização de todo o tipo de produtos em tempo real, em qualquer ponto do planeta, seja em localizações remotas ou no mar.

 

Monitorizar atividade económica

A atividade económica de uma cidade ou região pode ser avaliada usando CubeSats que examinam os movimentos portuários, locais de carga e descarga, ou aeroportos. Software de reconhecimento de aviões, barcos ou contentores pode monitorizar os níveis de tráfego e criar registos de importações e exportações.

 

Sistema ADS-B

O sistema ADS-B (Automatic Dependent Surveillance-Broadcast) fornece a localização exata de aeronaves sem necessidade de recurso a radares terrestres. Estas aplicações são particularmente relevantes nos casos de aviões que atravessem oceanos, em locais em que nem sempre as comunicações são possíveis. Uma constelação de nano satélites funcionará como intermediário, reencaminhando as mensagens recebidos e garantindo o acompanhamento de passageiros e carga.

 

Gestão de frotas

Nano satélites permitem melhorar e otimizar sistemas de gestão de frota, permitindo rastrear mercadorias e/ou transporte de passageiros. Os dados recolhidos asseguram o acompanhamento de cada veículo, ao mesmo tempo que aumentam a produtividade das empresas por via da otimização de rotas