Domínios de Ação // TRANSPORTE ESPACIAL

Space rider

O Space Rider é uma peça fundamental na democratização do Espaço.

© ESA – J. Huart 

Este novo veículo permitirá o acesso e retorno de cargas úteis para e do Espaço, possibilitando a investigação e desenvolvimento de novos produtos em ambiente de microgravidade, possibilitando novas soluções comerciais.

O sucesso do Space Rider depende em grande medida da capacidade de ligar os setores espaciais e não espaciais, incluindo o sucesso do voo de certificação. Portugal está empenhado em apoiar a Itália e a Europa, apoiando tanto o segmento terrestre como a exploração comercial do Space Rider.

O Space Rider é um projeto da ESA, que permitirá à Europa ter um transporte viável para operações espaciais para e do Espaço, garantindo à indústria europeia a capacidade de abrir novos mercados.

O sistema do Space Rider, construído para ser o primeiro transporte espacial reutilizável, oferecerá uma capacidade operacional de reentrada e aterragem baseada numa plataforma polivalente de voos não tripulados. A Itália lidera os segmentos terrestre e de voo com o suporte de alguns países europeus e Portugal apoia o sucesso deste projeto, que considera crítico, através de um envolvimento substancial no segmento terrestre e nas atividades downstream.

A criação de um local de desembarque na ilha de Santa Maria, nos Açores, é um elemento central no apoio que Portugal dá ao projeto do Space Rider. A infraestrutura irá dispor de um centro de controlo de aterragem, além de uma plataforma de processamento e análise de cargas úteis com instalações e competências altamente especializadas.

A instalação do porto espacial acontecerá em paralelo com o desenvolvimento de um ecossistema local altamente qualificado que englobará desde análise científica a um centro de incubação de empresas, elementos de grande interesse para Portugal e fundamentais para o Arquipélago dos Açores. 

O voo inaugural e de qualificação do Space Rider está planeado para meados de 2022. Com lançamentos subsequentes, um por ano durante seis anos.

Local de Aterragem

A Agência Espacial Europeia identificou Santa Maria como um local de aterragem para o Space Rider, o que será propício a uma nova geração de atividades espaciais na Europa, contribuindo para a liderança e soberania europeia.

  • O Space Rider combina reutilização, transporte e operações em órbita, com capacidade para uma descida precisa para a reentrada, sendo o veículo capaz de atravessar e aterrar em segurança perto de zonas habitadas.
  • Tem capacidade para acomodar até 800 kg de carga útil num ambiente controlado que oferece até 1.200 litros de volume de carga e fornece serviços incluindo 600 watts de potência, juntamente com capacidade térmica, controlo, tratamento de dados e telemetria.
  • O Space Rider terá capacidade para realizar o transporte de cargas úteis para investigação e desenvolvimento de novos produtos num ambiente de microgravidade.
  • O voo inaugural e de certificação do Space Rider está planeado para meados de 2022. Os lançamentos subsequentes devem acontecer uma vez por ano, durante seis anos.

Investimento em infraestrutura e reforço da capacidade 

A instalação do porto espacial de Santa Maria vai exigir a realização de investimentos: 

1. Num centro de controlo local para a monitorização das operações de aterragem, descolagem e emergências;

2. Em instalações de processamento que possibilitem o estacionamento do veículo, armazenamento de fluídos residuais e de artigos relevantes para novos voos (como sejam baterias e paraquedas, etc.); inspeção de veículos, recuperação de cargas úteis, recuperação de informação de voo e de cargas úteis registadas; e armazenamento de veículos antes de serem enviados para as oficinas de remodelação;

3. Uma rede que permita a comunicação entre os elementos no Espaço e as equipas no segmento terrestre;

4. Modernização da estação terrestre capaz de receber telemetria e enviar telecomandos, bem como um radar e uma estação de vídeo para a monitorização do veículo durante a descida e aterragem;

Além de ser fundamental para o sucesso do Space Rider, esta infraestrutura irá contribuir para estimular a economia dos Açores.

Exploração Comercial do Space Rider

A microgravidade tem sido fundamental para o aparecimento de alguns novos produtos, incluindo células solares de silício, espuma com memória ou circuitos integrados. Agora é a vez da indústria farmacêutica ser um stakeholder de referência na investigação em microgravidade. Cerca de 60% dos gestores da indústria farmacêutica reconhecem que a economia espacial terá um efeito disruptivo significativo durante as próximas décadas. O espaço proporciona às grandes farmacêuticas condições únicas para valorizarem os seus medicamentos e talvez encontrar novos tratamentos. A longo prazo, o objetivo passa por fabrico de produtos farmacêuticos em órbita baixa, o que poderá trazer melhorias aos medicamentos. 

Como exemplo, refira-se que a Estação Espacial Internacional já foi palco de diversos estudos:

  • Uma investigação da Merck&Co com o objetivo de desenvolver uma suspensão cristalina de milhões de pequenos cristais uniformes para melhorar a formulação do medicamento de imunoterapia oncológica da empresa, o Keytruda®;
  • A Eli Lilly & Co realizou experiências de cristalização de proteínas para o desenvolvimento de medicamentos baseados em estruturas;
  • Uma experiência do Laboratório Nacional de Oak Ridge para cristalizar a enzima AChE, para o desenvolvimento de um antídoto aperfeiçoado para o envenenamento por gás nervoso e pesticidas;
  •  Uma investigação pela Fundação Michael J. Fox para desenvolver cristais da proteína LRRK2, essencial na identificação da estrutura da doença de Parkinson.