Agência Espacial Portuguesa lança concurso de bolsas de doutoramento em Ciência e Exploração Espacial

Estão abertas as inscrições para o primeiro concurso de Bolsas de Doutoramento promovido pela Portugal Space. A Agência pretende estimular a investigação espacial e desenvolvimento tecnológico com o objetivo de reforçar as competências nacionais e promover o crescimento sócio-económico.

Ao contrário de muitas outras galáxias em espiral, a UGC 12588 aqui observada pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, não exibe nem uma barra de estrelas no seu centro nem o clássico padrão de braço em espiral.

A Agência Espacial Portuguesa – Portugal Space lança esta segunda-feira, 30 de Novembro, o primeiro concurso do seu Programa para atribuição de bolsas de doutoramento, promovido com o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

Este primeiro concurso destina-se a estudantes que pretendam desenvolver os seus doutoramentos nas áreas de Ciência e Exploração Espacial, Sustentabilidade e Utilização de Recursos In-situ, envolvendo as áreas de Astronomia (astrofísica, cosmologia, etc.), Astrobiologia, Astrogeologia,  Instrumentação Científica e Espacial, entre outras.

“Um dos objetivos deste primeira concurso  é reforçar a colaboração da comunidade científica portuguesa com parceiros internacionais e com a indústria, de forma a promover o conhecimento na área da compreensão do universo, nas ciências da terra e na exploração do Espaço”, explica Marta Gonçalves,  responsável pelo Programa de Bolsas de Doutoramento da Portugal Space.

O concurso agora lançado prevê a atribuição de até quatro bolsas de doutoramento, justificando-se a escolha do tema Ciência e Exploração Espacial, Sustentabilidade e Utilização de Recursos In-situ pelo facto de as Ciências do Espaço serem fundamentais não apenas para a exploração espacial e conhecimento do universo, mas também para que a comunidade científica saiba mais sobre o planeta Terra e contribua para a qualidade de vida da humanidade.

“As últimas décadas e a história da exploração espacial permitem concluir que as Ciências Espaciais, por estarem profundamente ligadas à evolução tecnológica, são um alicerce do desenvolvimento social e económico”, diz Marta Gonçalves, sublinhando a importância da transferência tecnológica em áreas como a medicina, telecomunicações e sector energético, entre outros. “Atividades de investigação e desenvolvimento sob condições de microgravidade, por exemplo, permitiram criar novos materiais e explorar novas e melhoradas aplicações farmacêuticas e médicas que têm um impacto significativo na vida e na Terra.”

 

Aposta na formação de recursos qualificados

O Programa de Bolsas de Doutoramento da Agência Espacial Portuguesa visa responder ao Eixo 3 da estratégia Portugal Espaço 2030, que apela à necessidade de estimular as competências técnicas, formando e atraindo recursos humanos qualificados e promovendo atividades em colaboração com parceiros europeus e internacionais.

Apesar do progresso alcançado nos últimos 20 anos, o setor espacial nacional tem ainda grandes desafios e barreiras a superar de modo a aumentar a sua dimensão, influência e competitividade, designadamente em termos do impacto da capacidade instalada na economia e na sociedade. Neste contexto, “a Agência Espacial Portuguesa chama a si a necessidade de reforçar o apoio ao desenvolvimento de novas competências em ciências da Terra e do Espaço e em tecnologias espaciais”, afirma Ricardo Conde, presidente da Agência Espacial Portuguesa.

O Programa de Bolsas de Doutoramento é, assim, uma das medidas da Agência que visa reforçar os projetos de investigação, desenvolvimento e formação avançada, relevantes para o progresso industrial e científico do país, com vista a assegurar um desenvolvimento sustentável e de longo prazo de todas as atividades relacionadas com o Espaço em Portugal. Pretende-se ainda estreitar a colaboração entre o meio académico, a investigação e a indústria, colmatando as lacunas no ecossistema espacial.

Além da investigação em Ciência e Exploração Espacial, Sustentabilidade e Utilização de Recursos In-situ, a Agência Espacial Portuguesa está ainda a preparar bolsas para as áreas de Tecnologia e Sistemas Espaciais na Exploração Espacial, Segurança Espacial, Big Data e Inteligência Artificial, fazendo uso do Espaço para o Desenvolvimento de Aplicações; Comunicações, Navegação, Ciber-Resiliência Espacial, Novos Modelos de Negócio do Espaço, Economia, Política e Direito Espacial.

As bolsas de doutoramento a atribuir pela  Portugal Space serão financiadas pela FCT ao abrigo do Protocolo de Colaboração assinado entre a FCT e a Agência Espacial Portuguesa. O processo de candidaturas decorre entre 30 de Novembro de 2020 e 29 de Janeiro de 2021, através da Open Space Innovation Platform – OSIP da Agência Espacial Europeia.

As candidaturas serão avaliadas por um painel de personalidades ligadas às ciências espaciais, liderado por Paulo Garcia, do CENTRA (Centro de Astrofísica e Gravitação), que será acompanhado por Alexandre Correia (Universidade de Coimbra), Aline Vidotto (Trinity College, Dublin), Mário João Monteiro (Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço), e Zita Martins (IST, Universidade de Lisboa).

Informação relevante

Anúncio de Abertura
Candidaturas

Autor
Portugal Space
Data
30 de Novembro, 2020